CRIATURAS DE BUTUCA!

Quando algum aventureiro conseguir correr de uma criatura, acontece um fenômeno peculiar: ao invés de ser descartada, ela fica DE BUTUCA! Ou seja, ela fica ali aberta do lado da moita, observando o que se passa com os aventureiros!

 

“E pra quê?!”, você deve estar se perguntando! Se não estiver, deveria! Enfim, é o seguinte: quando houver uma criatura de butuca, acontecem algumas coisas:

 

1) os próximos aventureiros podem optar entre abrir uma nova moita OU ter um encontro com a criatura de butuca, ou seja, tentar encarná-la ou rapelá-la, aí o jogo segue normalmente;

 

2) ninguém mais pode correr! Sim, enquanto houver uma criatura de butuca, se alguém não conseguir rapelar ou encarnar, sofre o castigo! Lógico, afinal vai correr pra onde se tem uma criatura logo ali de butuca?? :-/

 

Além disso, caso algum aventureiro abra uma moita e encontre uma criatura da mesma PATOTA da criatura de butuca, elas SE UNEM! É isso mesmo, você vai ter que tentar RAPELAR as duas (lógico, não dá pra encarnar as duas), ou seja, superar a soma da manha das duas criaturas!

 

Você pode pedir uma força pra algum coleguinha normalmente, e se tiver sucesso na rapelada, pode ficar com todas as recompensas das duas criaturas. Agora, se não conseguir, NÃO PODE TENTAR CORRER! É meu amigo... pode se preparar porque você leva OS DOIS CASTIGOS! Se algum aventureiro tiver dado uma força pra você, ele também sofre os castigos. Depois disso, as criaturas são descartadas e segue a peleja!

 

OBS: como os “times” só podem ter no máximo 2 criaturas/aventureiros, um aventureiro que não esteja participando da rapelada (e que tenha encarnado uma terceira criatura da mesma patota) não pode dar uma força pras duas criaturas unidas.

 

OBS2: se alguém tiver dado uma bugiganga para uma criatura vestir e essa criatura ficar de butuca, a bugiganga continua com ela, e quem rapelar ou encarnar leva a bugiganga!

 

OBS3: enquanto ninguém rapelar ou encarnar a criatura de butuca, ou enquanto não sair nenhuma criatura da mesma patota da criatura de butuca, ela continua lá, não deixando ninguém correr, de boa, de butuca.