Tomada 1: Entre 200 e 100 a.C., os celtas não tinham muito o que fazer: entre uma guerra e outra, cultos a diversos deuses, artesanato, desenvolvimento de técnicas agrícolas e produção em massa de poções mágicas, sobrava muito tempo para a diversão, especialmente se você não era um escravo. E foi assim, em um momento de ócio criativo na Cornualha, que um grupo de amigos criou um jogo aparentemente violento, mas divertido, e deram o nome de “their m 'ainm a chaochladh bidh mi a mharbhadh”, que, em celta antigo, significa “diga o meu nome ou eu te mato”. Na época, as peças eram feitas artesanalmente com pedra, couro e metal; aí o Inmetro Celta não aprovou, portanto o jogo foi esquecido por alguns séculos…
 
Corta para o século XII: Berenice, uma garotinha celta filha de artesãos, tinha uma vida típica de qualquer garotinha celta filha de artesãos do século XII: colhia pedras para o artesanato dos seus pais, colhia flores para enfeitar a casa, colhia cogumelos para o chá do seu tio, enfim, ela colhia muita coisa. Numa dessas colheitas, encontrou um saco de pano enterrado no chão. Pois é isso mesmo que você imaginou: ela havia encontrado o jogo histórico, com as peças todas intactas, e mais, o manual de instruções incrivelmente talhado em pedra!!!
 
Com a ajuda do druida, traduziu o manual para o celta moderno, e logo já chamou os amigos pra jogar. Depois de umas 20 partidas, descobriu que era IMBATÍVEL no jogo!!! E passou a provocar os amigos, dizendo “Tell my name!! Tell my name!!”. E, assim como “Hold the door” virou “Hodor”, “Tell my name” virou “Telma”; e de uma forma natural, Berenice passou a ser chamada de TELMA. E a família de Telma passou esse jogo de geração em geração até os dias de hoje, até finalmente chegar até nós da TAMANDUÁ JOGOS, que, junto com a DEVIR BRASIL, trouxe o jogo pra todo mundo! Agora é a sua vez! Divirta-se!!!